sábado, 1 de março de 2008

Braga saiu à rua e sorriu

Hoje, 29 de Fevereiro. Em Braga. A partir das 21:30. Foram chegando. Abraços apertados com anos de espera. Velhos amigos. Velhos conhecidos. Surpresas enormes. Sorrisos. Chegavam em grupos. Chegavam sozinhos, mas logo alguém chamava. As pessoas juntavam-se aos seus pares de escola. Aos conhecidos de outras escolas. Uma sinceridade. Uma afectividade. Que há muito não se sentia. Sentiam-se gente. Pessoas. Uma catarse que fez tão bem. Afinal, estavam ali todos. Só não estava quem não pode mesmo. E os que não estavam porque estão do outro lado, não fizeram falta nenhuma.
Primeiro, na Avenida Central. A praça grande pareceu pequena. Subindo o rebordo do chafariz ao centro, via-se em redor a multidão a encher a praça. A transbordar pelas ruas que lá iam dar. Uma alegria. Braga estava unida. Braga estava cheia. Braga estava pacificamente e alegremente na rua. Depois um desfile informal sem palavras de ordem. A hora era de contar histórias. De lembrar tempos. De lembrar colegas. Nem se sabia bem até onde era o desfile. Também não era preciso. Estava-se unido. Estava-se ali. Isso é que interessava. E assim se chegou à Praça do Município. Encheu-se. Transbordou para as faixas laterais do jardim. A toda a volta. Só um cartaz grande. Alguns em A4. Não houve discursos. Palavras de ordem, só duas: A luta continua, ministra para a rua; a escola não é tua, ministra para a rua. Também o canto já conhecido: Vai-te embora, vai-te embora, vai-te embora, vai-te embora.
Eram milhares. Num cálculo por defeito, aí uns cinco mil. Mas acho que seriam mais. Rostos calmos. Rostos contentes. Pessoas felizes. Porque, afinal, cada um viu por si que não estava só. Muita esperança. Ainda se acredita.
Foi lindo de morrer ver professores reformados, alguns já bem velhinhos, saírem à rua com a alma viva de professores que foram. De professores que são. Foi lindo de morrer ver os professores mais velhos, do último escalão, ali em peso, com a alma viva de professores que querem continuar a ser. Foi lindo de morrer ver os professores mais novos achegar-se aos mais velhos, seus antigos professores, abraçando-os numa cumplicidade solidária de gerações, fazendo questão de mostrar-lhes que também estavam ali.
Obrigado colegas. Obrigado amigos. Obrigado alunos. Estávamos a precisar disto. Para não enlouquecermos.
Obrigado, colegas de escola. Foi tão bom ver-vos. Nem imaginam. Obrigado colegas de escola por terem tido a coragem de serem solidários manifestando publicamente o vosso descontentamento, bem antes de saberem que o protesto dos professores se ia generalizar. Aquele abaixo assinado que fizeram pôs-vos na linha da frente.
Eu pedi já aqui, antes de tudo isto, a demissão da ministra. Com o “Prós e Contras” de segunda-feira, percebeu-se bem que a ministra não tem condições algumas seja de que espécie for, para continuar ministra. Só não percebeu quem não quis. As manifestações públicas dos professores, em várias cidades, têm provado isso mesmo. E hoje, em Braga, isso foi muito claro. Já não há ministra. Ela pode lá estar. Mas já não o é.
Obrigado colegas de Braga. Obrigado colegas da Escola Secundária D. Maria II, Brga. Vemo-nos em Lisboa no dia 8 de Março.
Um abraço. Bem apertado.

31 comentários:

Anónimo disse...

Se me permite, não vou deixar nenhum comentário sobre o tema mencionado, mas vou deixar uma pergunta: por mero acaso encontrei o TempoBreve... será o mesmo que estou a pensar, aquele tempo que por ser tão "breve" há muito que não lia?
Um beijo...da
MeninadasPedras

Ibel disse...

Olá, Olá!

Bela reportagem da união e da emoção.
Ontem,os acenos dos lenços brancos numa noite tão fratena, lembravam voos de aves em prenúncio de Primavera. Oxalá!

Eduarda disse...

Caríssimo colega,
Bela reportagem escrita.O texto está perfeito.
Foi isso que aconteceu.Foi isso que os meus olhos viram.Foi isso que os professores,em uníssono,sentiram,fizeram...
Parafraseando o poema lindíssimo de Maria Rosa Colaço-«Outra Margem»
«Vinham de longe.Vinham sozinhos.
(vínhamos de longe, de perto e em grupos)
Lá da planície.Lá da cidade.
(estávamos todos ali)
Ali chegaram para aprender
(a dizer aos senhores da Educação)
O sonho a vida a poesia
(dos professores que assim querem ensinar)-O SONHO A VIDA A POESIA aos nossos alunos!
E com uma estrela na mão direita
(uma vela)
E os olhos grandes e a voz macia
(estamos aqui para dizer)
Ali chegaram para aprender
(a continuar a lutar)
O sonho a vida a poesia
(que não queremos esquecer)


Parabéns,colega!Não esmoreçamos!
O sonho,a luta,não vão conseguir destruí-los!

Eduarda disse...

Acabo de o ver (em grande plano),de máquina fotográfica bem alto,na reportagem da TVI sobre este acontecimento.
Linda reportagem!

Anónimo disse...

P.M - Oliveira

Sempre cheguei ao TempoBreve e Setepelessetesaias...Gostei...bastante...

Gaivoar disse...

Braga saiu à rua
Na noite,sim!
E as almas
Em mãos de chamas
Disseram não
Ao jugo do coice
E da injúria má
Que a noite alumia
Mais a mentira vã.

Sá Couto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sá Couto disse...

Os professores de Braga voltam a marcar pontos.
Novamente as velas...
"Força"

TempoBreve disse...

Menina das Pedras!

Com um nome assim, permito-lhe quase tudo. Esse nome também é quase meu. Onde é que mo roubou?
Diz-me que, por mero acaso, encontrou o TempoBreve. Não sei se é o mesmo em que está a pensar. Mas olhe que o TempoBreve sou eu. Daí, pode ser que os Tempos de que fala sejam apenas um. Se conheceu um outro, lembre-se de como ele falava, de como ele escrevia. Depois, leia pacientemente algumas páginas daqui. Terá que ser paciente, que aqui estão páginas de conteúdos muito diversos. Mas, se ler algumas, acho que ficará sem dúvidas.
Ultimamente só me tenho dedicado a questões do Ensino.
:-)

TempoBreve disse...

Ibel:

Olá, olé!
O texto "Braga saiu à rua e sorriu" foi publicado na íntegra em "Educação do meu Umbigo". Pode ver os comentários que lá lhe fizeram. Basta ir ao endereço "educar.wordpress.com" e procurar na margem esquerda, em "Entradas mais populares", "Resistências colectivas - Um Emocionado Testemunho de Braga."
Até.
:-)

TempoBreve disse...

Cara Eduarda!

Obrigada pela tua visita e pelo teu texto.
Foi tudo muito belo. Mas nada está garantido. A luta vem aí. E nós cá estamos. Mas vão ensaiar emboscadas. Não as tememos.
O meu texto foi escrito logo que abandonei a praça. Tinha que ser logo a seguir. Para não perder o "momento".
O texto "Braga saiu à rua e sorriu" foi publicado em "A Educação do meu Umbigo". Tem vários comentários. Gostaram do texto.

TempoBreve disse...

Eduarda!

Recebi muitas mensagens a dizer que me viram na TVI "feito" repórter. Mas eu nãi me vi. O que até foi bom. Assim, posso sempre imaginar que representei bem a figura dum professor.
Obrigado pela atenção.
:-)

TempoBreve disse...

Cara PM - de Oliveira, Póvoa de Lanhoso!

Foi bom ver-te na em Braga! Ainda bem que encontraste o TempoBreve e as SetePelesSeteSaias. Agora já sabes quem é que está por dertrás daqueles textos e daquelas imagens.
Aparece sempre.
:-)

TempoBreve disse...

Gaivoar!

Brga saiu à rua, e eu acho que você estava lá. E acho que gostou de ver muita gente que lá estava. E acho que viu como é belo quando as pessoas se levantam do seu silêncio dorido e, sem medo, dizem:
-Basta!
:-)

TempoBreve disse...

Sá Couto!

Obrigado pela visita e pelo incentivo. Bem precisamos de força anímica. E de união.
Visito o seu "Delfos" sempre que posso. Continue também você.
Um abraço.

Anónimo disse...

O conselho de Escola vai estar bem representado.

Inácio disse...

Uma imagem pode ser manipulada, um desenho, o papel e o lápis são sempre insuficientes para transmitir as formas, cores, sons e sentimentos, mas, as palavras do teu texto conseguiram retratar fielmente uma das noites mais marcantes da cidade de Braga.
Um Abraço!

TempoBreve disse...

Caro anónimo!

Espero que não haja Conselho de Escola, nos termos em que ele está previsto.
Mas, se houver, espero mesmo que os professores fiquem bem representados: por quem não tema; por quem não traia; por quem argumente; por quem seja DOCENTE.
Obrigado.

TempoBreve disse...

Inácio!

Tenho um colega com esse nome. E é das Artes. As suas palavras fazem-me pensar que você poderia ser ele. Gostaria que fosse. Mas, não o sendo, não faz diferença de maior.
As suas palavras são motivo de incentivo e de alegria para mim e, por isso, lhas agradeço.
Sim. Foi uma noite marcante. Foi bonito de se ver.
Posso dar-lhe um abraço?

TempoBreve disse...

Atenção!

Há ali um comentário que foi eliminado. Não fui eu que o fiz. Nunca tive necessidade de o fazer. Certamente foi alguém que escreveu o comentário e, depois, sentiu necessidade de o corrigir.

Anónimo disse...

Vocês pensam todos que podem muito, mas falta-vos a determinação que a SENHORA Ministra tem e que vos há-de vergar, cambada de calaceiros. Trabalhai que o tempo servia-vos para outras maneiras de fazer que nada fazíeis.

TempoBreve disse...

Caro anónimo! (Sim. Você que acha que os professores não trabalham)!

Eu, por mim, posso muito pouco. Mas os professores, se unidos, podem alguma coisa. Não nos move um tipo de guerra a ver quem verga ou não verga. Move-nos a defesa dum Ensino Público digno, e a defesa da nossa dignidade.
Agradeço a sua visita, mas lamento as suas afirmações sem fundamento. Se andou na escola, sabe bem que não tem razão.
Venha cá quando lhe apetecer e manisfeste livremente a sua discordância e crítica. Mas agradecia que não insultasse ninguém. Até para dar credibilidade à defesa que faz da sua dama.
Até sempre.

Betania disse...

Hoje,quero expressar a minha revolta imensa em relação aquela "gentinha" mesquinha,pequenina,que se acomoda à mediocridade da qual é feita,e pior do que isso,se vangloria.
O seu texto cala muitos dos que não sabem o que dizem(já nem me atrevo a dizer "O que pensam",sendo que é demasiado evidente que lhes falta o cérebro,então o pensamento...)nem dizem o que julgam saber.Haja gente que,sem medos,se chega à frente e fala alto em nome de todos.Ainda bem que há Pessoas,como o TempoBreve,que se destacam por entre multidões caprinas e bovinas(sem ofensa a estes respectivos animais, respeitáveis)e fala com verdade,inteligência,e coerência(coisa que falta a esse mesmo gado,mas também convêm não exigir muito,ainda se lhes dá um esgotamento...)e defende aquilo que com sinceridade,vai acreditando porque a própria crença começa a esvair-se de uma forma assustadora.Fale,defenda,intervenha e cale tudo e todos que iniciem um discurso miserável(reflectindo a estupidez rara que os consome)com frases do género: "eu acho que...".Ainda bem que as não começam com "eu penso que..."porque isso sim,seria grave!
Continue...!Estamos consigo!
Obrigada,de coração,Obrigada...

Prof.Isabel FIdalgo disse...

Caro anónimo(a)

O Tempo Breve já lhe respondeu com a educação que você não merece, porque só os covardes escondem a cara e o nome, quando querem atacar.
Este blogue não é meu ,mas é de uma pessoa que me merece a maior estima, pela qualidade de PROFESSOR que tem demonstrado sempre ser e pelo justo reconhecimento de valor que os alunos lhe fazem.
E também pela cultura e pela lisura. Sabe o que isso é?
Se calhar, você até esteve na manifestação e fingiu que sorriu...
Para que não restem dúvidas sobre a minha identidade, vou assinar com o meu nome de baptismo e com o acrescento de matrimónio.
Como vê, os professores sabem ensinar.
Fique bem.
Maria Isabel Antunes da Silva Fidalgo

Anónimo disse...

Carpe diem = )
Não são só os professores que estao nesta guerra.
Os alunos também apoiam fielmente um ensino equilibrado e sábio sem hipocrisias nem atentados aos professores.
Queremos aprender mais e mais, é por isso que andamos na escola.
Além disso os professores existem para avaliar, não para serem avaliados.
Sei que não fui a essa união que tao respeitavelmente me orgulho de mensionar para defender que os alunos vao para a escola para aprender e nao para passar tempo, no entanto gostaria de mensionar que atravez de palavras, continuarei a apoiar estes provessores que dao a cara sem medo contra estas parvoices que a ministra decidiu chamar leis que mais parecem atentados contra professores, alunos e respectiva aprendisagem.
Espero que o tempoBreve continue nesta guerra de mao firme porque eu continuarei em nome dos alunos.
Um abraço
P.S-Nao me confunda por favor com alguns anonimos sempre que for eu a escrever começarei por "carde diem" pois adoro a palavra.
Ja agora gostava de saber a sua opiniao,estava a pensar fazer um blog com o nome de Carpe Diem.
O que acha ?

Prof. Eduarda disse...

Faço minhas as palavras da professora Maria Isabel Fidalgo.
É lamentável que ainda haja cidadãos com uma visão tão redutora e tão vazia de conteúdo sobre os professores.
Informe-se,caro anónimo,informe-se!

TempoBreve disse...

Carpe Diem!
Já respondi ao seu comentário no texto acima -"Resistir às provocações".
Um abraço.

TempoBreve disse...

Cara Betânia!

Obrigado pelo apoio. E pelos elogios à minha pessoa, que não são merecidos, mas que eu te perdoo por ter tido a honra de ser teu professor.
Li o texto do teu blogue. Senti-me orgulhoso. Deixei comentário longo, mas perdi-o, ao publicá-lo. Mas a coisa tem remédio, pois voltarei lá.
Os professores precisam do apoio de toda a gente. O dos antigos alunos ser-lhes-ia particularmente favorável. Há várias maneira de o manifestar. Podem manifestá-lo para os blogues. Podem elaborar textos assinados em grupos, mesmo que pequenos, e enviá-los aos blogues, de preferência via E-mail, para mnais facilmente se poderem editar. Não se devem individualizar os professores.
Será que os ex-alunos do D. Maria II estão solidários com os professores na defesa do Ensino Público e de uma Educação digna. Será que os ex-alunos do D. Maria II, querem que os seus antigos professores sejam transformados em burocratas mortos-vivos, sem autoridade sequer para ensinar ironias, para abrir as janelas aos seus alunos para que vejam o mundo e o compreendam? Será que os ex-alunos do D. Maria II querem que os seus ex-professores se submeteam e abdiquem da sua cultura, dignidade e capacidade crítica para terem de obedecer a "representantes" de paizinhos que não representam ninguém; os para obedecer ao funcionário-controleiro do partido que estiver no poder?
Se for isso que os meus alunos de ontem, e que o hão-se ser sempre, é isso que pensam, eu, então, errei redondamente como professor.
Um beijinho para ti.

TempoBreve disse...

Cara professora Isabel Fidalgo!

Agradeço ter saído em minha defesa. Deu uma resposta inteligente àqule senhor anónimo. Eu já lhe tinha respondido. Obrigado por ter dito o que disse, e como o disse. É que o descontrolo, o insulto, a má-criação, têm que ficar do lado de lá.
Ele já voltou a atacar. Já lhe respondi. Não se preocupe com isso, está bem.
é que comentários daqueles só dão força à nossa determinação. Ele que fique com a ministra. Ficam os dois mui´to bem. São parecidos na argumentação.
Um abraço.

TempoBreve disse...

Prof. Eduarda!

Obrigado por ter comentado aquilo que o tal comentador anónimo, que não deve ter andado na escola, ou deve ter aprendido pouco, tal a forma como fala dos professores.
Mas não se incomode com isso. Deixe isso comigo.
Ele já voltou a aparecer. É muito parecido com a ministra na lógica da argumentação, isto é, não tem lógica nenhuma.
Mas esses comentários assim sem argumentos e sem razão, só provam que estamos no caminho certo.
Um abraço.

Luís Freire - Mané disse...

Por favor:
Peço endereço electrónico da Associação dos Antigos Alunos do Dª Maria II - Braga
Soube que organizam encontros mas não tenho qq contacto.
Obrigado
luisjfreire@gmail.com