sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Mas tudo isto para quê?

Não sei quem me visita. Conheço apenas duas ou três pessoas. E dessas, só uma é que cá vem mais amiúde. Já devem ter percebido isso.
Eu também já percebi que há pessoas que vêm aqui, e que me conhecem, mas eu não sei quem são; e também já percebi que algumas pessoas, quer me conheçam ou não, aparecem umas vezes com um nome, outras vezes com outro. Quer umas quer outras, fazem muito bem, e eu agradeço sempre a visita que me vêm fazer.
Mas tudo isto para quê? Para lhes dizer que tenho a impressão que vem cá pouca gente; e que acredito que quem por cá passa, uma vez ou outra gosta de passar.
Mas tudo isto para quê? Para lhes dizer que não escrevo especificamente para o grupo a, ou para o grupo b, ou para o grupo c; escrevo para todos, e principalmente para mim.
Mas tudo isto para quê? Para lhes dizer que vou mudando temas, que vou mudando formas, que contando histórias sem preocupações de serem mais assim ou serem mais assado.
Mas tudo isto para quê? Para lhes dizer, em tom de ameaça, que vou deixar nas Peles um texto cujo tema é a "Arte". Mas tudo isto para quê? Para os convidar a irem às Peles cheirar esse texto, mas para o não lerem, para depois não dizerem que eu sou um chato. Olhem que eu chateio-me!
Eu estou a avisar, ora não estou?
:-)

2 comentários:

Ibel disse...

Sou uma leitora assídua,atenta e mordida de curiosidade em relação a este e a outros blogues, mas o seu leva o óscar.
Gosto de quem gosta da Casa das Letras e se veste delas e com elas
as borda de rendas de saias aguçadoras de apetites.
Por isso aqui estou,e também,porque descobri no tempo breve outras leituras que o tempo longo não me deixou ver.
É a tal curiosidade "mordida" que pede ao senhor tempo que atire cá para fora a maçã ou outro fruto daqueles saborosos a que já todos nos habituámos.
Aproveito para lhe dizer que já descobri a verdadeira identidade de dois Campos que vêm "cá" espreitar.
Um abraço para eles.Outro para si, mas com as setes saias...

TempoBreve disse...

Cara Ibel:

1 .Deixe-me tratá-la por você e assim. Sabe? O você é em mim uma coisa maior e mais próxima - embora eu saiba que vulgarmente não é bem assim.

2. Citações de si:
2.1 - "O seu leva o óscar" - você não está a ver como me envaideço, mesmo sabendo que isso é só simpatia?
2.2 - "Gosto de quem gosta da Casa das Letras" - Você não vê outra vez a minha vaidade?
2.3 - "Porque descobri no tempo breve outras leituras que o tempo longo não me deixou ver" - Você não está a ver o meu sorriso a um tempo feliz e a outro tempo triste? Você não imagina as pessoas que já me disseram isso. Dava até para contar, mas não.

E se você manda abraços aos "Campos", eu, que sou mais de monte, também posso mandar. Quanto ao seu abraço, manda-mo você com as sete saias, como que a protegê-lo. Mas bem se engana, que é com as sete saias que ele mais se expõe.
Tenho que fazer uma visita ao seu blogue: frutosdemimemar
:-)